Secretaria

SECRETARIA: A Secretaria Geral, que atende os cursos da Faculdade Santo André – FASA, autorizada pela Portaria nº 584, de 17 de agosto de 2015,   é responsável pelo registro e controle de todas as informações acadêmicas sobre os alunos, tais como: registro da documentação legal exigida pelos órgãos oficiais; emissão de documentos e relatórios relativos à vida acadêmica dos alunos; acompanhamento da frequência às atividades didáticas e pedagógicas; processos de matrícula; renovação de matrícula; trancamento e transferência.

RENOVAÇÃO DA MATRICULA: É realizada anualmente, com a subscrição de disciplinas e assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.
O sistema informatizado permite que a matrícula seja renovada automaticamente no início entre os semestres impares com os pares, isto é, o aluno considerado regular (aquele que irá cursar todas as disciplinas de seu enquadramento será automaticamente matriculado),não precisa vir até o Atendimento da Secretaria Geral para subscrever essas disciplinas; bastando que suas obrigações contratuais e financeiras estejam em ordem.

A renovação de matrícula é paga anualmente no ato da assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais para o semestre letivo seguinte.

CANCELAMENTO DE MATRICULA: É o ato pelo qual o aluno se desliga da FASA. O cancelamento só pode ser requerido se houver matrícula no período letivo da própria solicitação.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO: Nos cursos na modalidade presencial, será obrigatória a frequência as aulas e demais atividades curriculares de, no mínimo 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária total programada para cada disciplina semestral, sendo considerado reprovado na disciplina o aluno que não atingir este percentual de frequência, mesmo quando apresentar  rendimento satisfatório no processo de avaliação.

Os instrumentos de avaliação serão os mais diversificados possíveis, desde exercícios, trabalhos orais e escritos, testes objetivos, provas discursivas, seminários, feiras culturais, jornadas pedagógicas, projetos, relatórios, atividades de monitoria, entre outros.

FALTAS: Não existe abono de faltas na legislação educacional brasileira. Qualquer falta do aluno, independente do motivo, deve ser considerada e lançada no Diário de Classe. Para casos especiais, a Legislação prevê um Tratamento Especial, sendo que nem esses casos caracterizam abono de faltas. Trata-se de inclusão de atividades compensatórias, inclusive domiciliares. São eles:

  1. a) Tratamento de Saúde: O Decreto-lei Nº 1.044/69 dispõe sobre o tratamento excepcional para os alunos portadores das afecções que indica e determina que se deve atribuir-lhes, como compensação da ausência às aulas, exercícios domiciliares com acompanhamento da escola, sempre que compatíveis com seu estado de saúde e as possibilidades do estabelecimento. O atestado médico deverá conter o CID e o tempo necessário para o afastamento.
  2. b) Licença Maternidade: A lei Nº 6.202/75 atribui à estudante em estado de gestação o regime de exercícios domiciliares, instituído no Decreto-lei Nº 1.044 e determina que a partir do 8º mês de gestação e durante três meses a estudante ficará assistida pelo regime de exercícios domiciliares, o que será comprovado por atestado médico apresentado à escola. (Tempo total 03 meses).
  3. c) Reservista: O Decreto-lei Nº 715/69 assegura a justificativa de faltas para todo convocado matriculado em Órgão de Formação de Reserva ou reservista que seja obrigado a faltar a suas atividades civis por força de exercício ou manobra, exercício de apresentação das reservas ou cerimônias cívicas. O Decreto Nº 85.587/80 estende esta justificativa para o Oficial ou Aspirante a Oficial da Reserva, convocado para o serviço ativo, desde que apresente o devido comprovante. A lei não ampara o militar de carreira; portanto suas faltas, mesmo que independentes de sua vontade, não terão direito a abono.
  4. d) CONAES – Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior: A Lei Nº 10.861/2004 assegura a justificativa de faltas do estudante que, em decorrência da designação como representante discente das instituições de ensino superior, tenha participado de reuniões da CONAES em horário coincidente com as atividades acadêmicas.

Lei, nº 9.394, de 20 de Dezembro de 1996 – Art. 47. § 3º É obrigatória a frequência de alunos e professores, salvo nos programas de educação a distância.

Atenção: O interessado deverá requerer regime especial de estudos no início do impedimento.

Não haverá abono de faltas:

O aluno que tendo cumprido o mínimo da frequência exigida nas atividades didáticas e cuja média aritmética das notas obtidas seja igual ou superior a 7,0 (sete), será considerado aprovado:

Média Semestral = 1º Bimestre + 2º Bimestre + atividades de acordo com a organização de cada professor.
O aluno somente poderá submeter-se ao Exame Final, se atingir Média Semestral maior ou igual a 4,0 (quatro) e menor que 7,0 (sete).

Será aprovado, após o Exame Final, o aluno que obtiver média 7,0 (sete), media necessária para ser aprovado.

Média Final = a soma dos 2 (dois) bimestre e mais atividades. Ou a nota da prova final.

2ª CHAMADA DE PROVA: O aluno poderá solicitar junto a Secretaria, 2ª chamada de prova bimestral que por motivo justificado, deixar de realizar. O requerimento deve vir fundamentado e instruído com a documentação comprobatória no prazo máximo de 72 (setenta e duas) horas após a prova que deixou de realizar. É considerado motivo justificado, os casos de enfermidade do aluno que poderá ser comprovado mediante apresentação de atestado médico; cumprimento de obrigação legal, ou ainda, força maior, que será devidamente analisado, a simples entrada com o pedido não garante a realização da prova em segunda chamada.

A prova de 2ª chamada será realizada na aula seguinte do professor (prova realizada em uma segunda-feira, será aplicada a 2ª chamada na segunda-feira seguinte).

A IES não cobra taxa para emissão de 1ª via de documentos, e também não cobra taxa para realização de 2ª chamada de prova.

DEPENDÊNCIA: O aluno pode ser promovido ao período letivo seguinte com reprovação em, no máximo, 3 (três) disciplinas.

Essas disciplinas deverão ser cursadas em regime de dependência no período letivo imediatamente posterior ao da reprovação. Na hipótese de não ser oferecida a disciplina no período letivo seguinte, o aluno poderá continuar seus estudos, devendo cursar a disciplina quando a mesma vier a ser oferecida. O aluno não poderá, em hipótese alguma, matricular-se em duas disciplinas que sejam oferecidas em horários conflitantes, mesmo que parcialmente. Havendo choque de horário, o aluno deve cursar a disciplina pendente.

Aproveitamento de Estudos:

É o processo pelo qual, comparando as disciplinas (carga-horária e conteúdo programático) cursadas com aprovação na FASA ou em outras instituições de ensino superior, o coordenador do curso verifica a possibilidade de dispensar o aluno de cursar disciplina de seu curso/currículo.

Cancelamento de Matrícula:

É o ato pelo qual o aluno se desliga da FASA. O cancelamento só pode ser requerido se houver matrícula no período letivo da própria solicitação.

Colação de Grau:

A Colação de Grau é um ato institucional, obrigatório, a solenidade é realizada em data oficial e de responsabilidade da faculdade, podendo o acadêmico requerer sua colação em data especial, desde que cumpra todos os requisitos exigidos. Estão aptos a colar grau os acadêmicos que concluírem todas as obrigações acadêmicas curriculares.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

De segunda a sexta-feira:

  • 13:30h às 22:30h

Sábado:

  • 08:00 às 11:30